Em declarações aos jornalistas, à margem de uma conferência sobre migrações, em Oeiras, quando questionado sobre que medidas de segurança estão a ser pensadas para as manifestações de sexta-feira, Eduardo Cabrita frisou que o direito à manifestação existe em Portugal e está regulado.

“Aquilo que confio é que a boa tradição portuguesa se mantenha, liberdade de manifestação e respeito por aquilo que é a afirmação dos princípios fundamentais do Estado de direito”, adiantou o ministro.

Nesse sentido, disse esperar que sejam respeitadas as regras sobre o direito de manifestação, acrescentando que as forças de segurança irão definir as medidas de segurança de acordo com a “dimensão previsível e a natureza do fenómeno”.

Questionado sobre se receia que venha a acontecer o mesmo que em França, com o fenómeno dos coletes amarelos, o ministro respondeu que “Portugal é um país seguro, que respeita o direito de manifestação”.

Entretanto, a PSP já anunciou que está a preparar um “dispositivo adequado” para as manifestações de sexta-feira e aproveitou para apelar ao respeito pela lei.

Os protestos marcados para sexta-feira em várias cidades do país por grupos de cidadãos são inspirados no movimento “coletes amarelos” em França, que há vários dias se manifestam contra o elevado custo de vida e para exigir a diminuição dos impostos e do preço d gasolina, e que já originaram violentos confrontos entre manifestantes e polícia.

As manifestações de sexta-feira estão a ser organizadas através das redes sociais, nomeadamente páginas no Facebook.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.