Classificando como “caótico” o cenário social na Região Autónoma da Madeira, o candidato do PURP disse que a descida da taxa de juro do empréstimo do PAEF “de 3,375% para 2,5%” vai permitir poupar 48 milhões de euros, o que “dá muita mais margem de manobra” para a implementação de medidas que melhorem a vida dos madeirenses.

Em declarações à agência Lusa, Rafael Macedo adiantou que a candidatura do PURP apresenta como “principal bandeira” a questão social, no sentido de permitir o desenvolvimento da região, “para que não se continue com este afundamento social”.

Presente na procissão da Senhora da Piedade, na freguesia do Caniçal, no concelho do Machico, o cabeça de lista optou por fazer “uma campanha silenciosa”, sem distribuir panfletos e tentando “não falar de política”.

“Foi uma orientação mais de fé, mais de orientação para esperança, a esperança dos madeirenses, e pedir a Nossa Senhora da Piedade que, realmente, traga uma reviravolta na região, no sentido de mudarmos de rumo deste estado caótico a nível social e na saúde”, afirmou o candidato, adiantando que o ‘feedback’ das pessoas ao projeto do PURP “foi muito bom”.

Na área da educação, o partido quer apoiar os estudantes durante o período de escolaridade obrigatória, através de passes de transporte e manuais gratuitos até ao 12.º ano, indicou Rafael Macedo, destacando ainda como áreas de intervenção a saúde e a cultura.

“Queremos também um aumento faseado, ao longo dos quatro anos, das pensões, para que realmente ninguém em Portugal ganhe abaixo do ordenado mínimo”, referiu o cabeça de lista do PURP, explicando que tal é possível “através de medidas de implementação de nova fiscalidade na Zona Franca da Madeira”.

Além disso, o PURP propõe que “todas as empresas da Madeira” possam integrar a Zona Franca, inclusive micro e pequenas empresas da região.

Rafael Macedo sugeriu ainda medidas de proteção do ambiente e do mar, bem como o “desenvolvimento sustentável da paisagem” da região, com destaque para a floresta Laurissilva.

“Alavancarmos um turismo de natureza, que é isso que as pessoas querem, não querem hotéis de cinco estrelas tipo Dubai. As pessoas, realmente, vêm para a Madeira para conhecer a paisagem, para conhecer o nosso bem precioso, que é a nossa Laurissilva, as nossas florestas, as nossas levadas e o nosso mar”, declarou o candidato do PURP.

A nível económico, o cabeça de lista avançou com uma proposta de “um ferry rápido entre a Madeira e Porto Santo”, que permita o desenvolvimento da economia local do Porto Santo e para que, quando ocorram ventos impeditivos de aterragens na ilha da Madeira, os voos possam ser desviados para o Porto Santo.

As eleições regionais legislativas da Madeira, onde os sociais-democratas governam com maioria absoluta, decorrem em 22 de setembro, com 16 partidos e uma coligação a disputar os 47 lugares no parlamento regional: PDR, CHEGA, PNR, BE, PS, PAN, Aliança, Partido da Terra-MPT, PCTP/MRPP, PPD/PSD, Iniciativa Liberal, PTP, PURP, CDS-PP, CDU (PCP/PEV), JPP e RIR.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.