De acordo com informação disponibilizada pela Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna sobre os resultados das legislativas regionais, o concelho registou uma nova reviravolta, com a coligação PSD/CDS-PP a voltar a colocar o PS em segundo lugar na representação desta ilha no parlamento regional.

Nas regionais de 2019, o PSD (a concorrer isolado) perdeu a maioria absoluta que tinha desde 1976 no Porto Santo, após a vitória histórica do PS, que conquistou então 50,75% dos votos dos porto-santenses.

No ato eleitoral deste ano, o PS foi derrotado pela coligação PSD/CDS-PP, que teve 51,51%, enquanto os socialistas tiveram 24,69%, segundo dados oficiais provisórios divulgados já com todos os votos da ilha contabilizados.

O terceiro lugar foi alcançado pelo Chega, partido que conseguiu 8,02% dos votos e que apresentou como cabeça de lista nestas eleições Miguel Castro, natural do Porto Santo.

O JPP conseguiu 3,81%, seguindo-se Bloco de Esquerda (1,43%), Iniciativa Liberal (1,23%), CDU – coligação PCP/PEV (1,23%), PAN (1,19%), Livre (1,09%), PTP (0,70%), MPT (0,53%), ADN (0,36%) e RIR (0,23%),

Em termos autárquicos, o Porto Santo é governado pela coligação PSD/CDS-PP, que venceu as eleições de 2021 com 50,87% dos votos, reforçando a liderança do PSD nesta ilha madeirense - em 2017 o partido concorreu sozinho e venceu por pouco, com 37,94%, contra 36,99% do PS.

Nas eleições legislativas regionais de 2019, o PSD passou dos 54,95% de votos que conseguiu em 2015 para 35,73%, enquanto o PS obteve 50,75%, depois de em 2015 ter liderado uma coligação que arrecadou 18,08% (com o PTP, o PAN e o MPT).

Nas primeiras eleições legislativas na Região Autónoma da Madeira, em 1976, o PSD teve 53,39% dos votos no Porto Santo, maioria absoluta que se manteve intocável até 2015, inclusive, sempre com o PS em segundo lugar nas opções dos porto-santenses.

Em 1976, o PS registou 38,48% dos votos, percentagem que registou um momento de quebra em 2007, para 21,57%, e em 2011, para 16,33%.

Mesmo em 2015, quando se apresentaram às eleições com a coligação PS-PTP-PAN-MPT, os socialistas conseguiram apenas 18,08% dos votos.

Mais de 253 mil eleitores foram hoje chamados a votar nas legislativas regionais da Madeira para escolher a nova composição do parlamento do arquipélago, com 13 candidaturas na corrida.

Apresentaram-se a votos PTP, JPP, BE, PS, Chega, RIR, MPT, ADN, PSD/CDS-PP (coligação Somos Madeira), PAN, Livre, CDU (PCP/PEV) e IL. A coligação PSD/CDS-PP venceu as eleições, mas falhou a maioria absoluta, segundo os dados oficiais provisórios.

Há quatro anos, os sociais-democratas elegeram 21 deputados, perdendo pela primeira vez a maioria absoluta que detinham desde 1976, e formaram um governo de coligação com o CDS-PP (três deputados). O PS alcançou 19 mandatos, o JPP três e a CDU um.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.