Para eleger um candidato às eleições presidenciais, no partido Democrata e no partido Republicano, é necessário meses de preparação. Se para os candidatos o processo pode ser longo e exaustivo, para os eleitores há regras a seguir, determinadas por cada estado.

Como são escolhidos os candidatos que vão disputar as eleições presidenciais?

Normalmente, a primeira fase deste processo eleitoral acontece no período entre janeiro e junho. Eleitores dos 50 estados, da capital federal e de cinco territórios administrados pelos Estados Unidos (Porto Rico, Ilha de Guam, Ilhas Virgens Americanas, Samoa Americana e Ilhas Marianas do Norte) são chamados a escolher entre os vários pré-candidatos. No caso dos territórios administrativos, estes apenas podem exercer o voto nesta primeira fase, não podendo votar na escolha dos candidatos à Casa Branca.

Durante o processo de eleição, os candidatos nesta fase tentam angariar o maior número de delegados, pessoas que são politicamente ativas e que marcarão presença nas convenções nacionais dos partidos, que decorrem normalmente em julho, onde declaram o seu apoio nos candidatos tendo por base a decisão dos eleitores nos vários momentos da eleição.

Há dois métodos de escolha, as primárias e o “caucus”, e é através destes que os candidatos vão disputar delegados.

Para os Republicanos, há 2475 delegados a serem disputados e o candidato presidencial a ser nomeado tem de conquistar 50% mais 1% dos votos, o que equivale a 1238 delegados.

Para os Democratas, há que disputar 3635 delegados. No entanto, há ainda mais 700 superdelegados, que são membros da Câmara dos Representantes, do Senado, entre outros líderes partidários. Estes têm liberdade de voto na convenção nacional.

Primárias

Este método de escolha processa-se como uma eleição convencional que funciona num sistema que pode ser aberto - não é necessário o registo num partido para votar -, fechado - apenas membros oficiais dos partidos podem exercer o seu direito de voto - ou semi-fechado - além dos membros dos partidos, cidadãos independentes podem escolher uma votação para participar.

Os eleitores dirigem-se a um local de voto durante o dia em que decorre a eleição e fazem a sua escolha que funciona através de voto secreto, através de um boletim de voto. No final do dia, os votos são contabilizados de forma a definir o vencedor.

No entanto, há uma diferença na forma como os partidos contabilizam o número de delegados. No caso dos Democratas, o sistema é proporcional em relação ao número de votos. Por exemplo, se um candidato vence com 48% dos votos fica com 48% dos delegados dessa secção eleitoral. Por outro lado, para os Republicanos, o candidato vencedor da eleição fica com todos os delegados da secção eleitoral.

Este método é realizado em 37 estados norte-americanos e em Porto Rico. Na maior parte dos casos, o sistema de eleição utilizado é fechado.

O método “Caucus”

Ouviu falar no “caucus” de Iowa, mas não sabe o que é? Este método trata-se, nada mais, nada menos, do que uma Convenção Partidária. Os eleitores registados pelos partidos em determinada secção eleitoral são chamados a reunir num local pré-definido. Aqui, os representantes de cada candidato fazem um discurso onde tentam “vender” as pessoas que apoiam.

Neste caso, também há diferenças em relação ao método de escolha dos partidos. No caso dos Republicanos, o que se segue aos discursos é a votação que é feita num papel. No fim, são contabilizados os votos e a percentagem obtida por cada candidato equivale ao número de delegados dessa secção. O sistema adotado pelos Democratas é um pouco mais complexo. No final dos discursos os eleitores são divididos em grupos, que apoiam cada candidato. Com base no número de membros do grupo são definidos os delegados dessa secção eleitoral.

Este método é utilizado em 13 estados e três territórios administrativos (Ilhas Samoa, Ilhas Mariana do Norte e Ilhas Virgens).

As Convenções Nacionais

Os métodos descritos anteriormente são os mais importantes na escolha dos candidatos que vão disputar a presidência dos Estados Unidos, mas estes só são formalmente indicados nas Convenções Nacionais de cada partido. É aqui que os delegados angariados anteriormente elegem o representante do partido para as eleições presidenciais.

As convenções acabam por ser o momento de consagração dos candidatos que irão disputar a eleição final. Normalmente, quando estas convenções acontecem já se sabe à partida qual o candidato em vantagem na votação, pois estas acontecem depois de todos os delegados serem disputados.

Veja a infografia do que já aconteceu e do que se espera para os próximos meses.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.