O projeto será desenvolvido juntamente com a COMSA e com a MUNCK e, para a Efacec, o valor do negócio é de aproximadamente 47 milhões de euros, “o que reflete a dimensão e a integração de soluções que serão prestadas pela empresa”, informou hoje a empresa, em comunicado.

O metro de Odense terá 14 quilómetros de linha, 26 estações de superfície, um centro de comando, 14 veículos e 51 cruzamentos, segundo a Efacec, acrescentando que serão transportados diariamente 35.000 passageiros a partir de 2020, ano em que ficará operacional.

A Efacec refere ainda que, até ao momento, “este é o projeto de metro ligeiro que integra um maior número de serviços e valências” da empresa, já que ficará com responsabilidade relativamente às subestações de tração, à catenária, à sinalização, às comunicações, à informação ao público, à videovigilância, à telefonia, à localização de veículos e gestão de frota e ao centro de controlo.

A Efacec é uma empresa portuguesa que opera nas áreas da transmissão e distribuição de energia e dos sistemas integrados nos setores da energia, ambiente, indústria e transportes ferroviários, desenvolvendo soluções de carregamento de energia para a mobilidade elétrica.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.