O cadáver, encontrado despido junto a um curso de água numa zona de selva, já foi identificado pelos pais.

Nora Quorin, que sofria de uma deficiência mental ligeira, desapareceu na noite de 3 para 4 de agosto do hotel The Dusun, no estado de Negeri Sembilan, cerca de 70 quilómetros a sul de Kuala Lumpur, onde tinha acabado de chegar com a família, residente em Londres, para duas semanas de férias.

As buscas para a encontrar prolongaram-se por dez dias e envolveram cerca de 350 polícias, bombeiros, mergulhadores e voluntários, apoiados por helicópteros.

Segundo a polícia, o corpo foi descoberto por voluntários registados junto das autoridades numa zona onde já tinham sido feitas buscas.

O cadáver foi transportado de helicóptero para a morgue do hospital, onde foi identificado e deverá ser autopsiado.

O comandante adjunto da polícia nacional, Mazlan Mansor, disse que a polícia continua a tratar o caso como um desaparecimento, apesar de os familiares da rapariga terem evocado a hipótese de rapto.

Os pais, Meabh, irlandesa, e Sébastien, francês, elogiaram os esforços das autoridades para encontrar a filha e ofereceram uma recompensa de 50.000 ringgit (cerca de 10.650 euros) por informações, compensação financiada por uma empresa irlandesa.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.

Um artigo do parceiro

O INTERIOR é um jornal semanal de informação geral, com carácter regional, incluindo também assuntos de carácter nacional, orientado por critérios de criatividade e sem dependência de qualquer ordem.