“Diligências realizadas por esta polícia, desde a passada quarta-feira, permitiram indiciar que, na realidade, os ora detidos, filha e genro da pessoa desaparecida, que com ela coabitavam, na sequência de inúmeras desavenças, delinearam um plano, executado conjuntamente, para lhe tirar a vida”, refere o comunicado da polícia.

A filha da vítima tem 23 anos e o genro 27, e ambos vão ser presentes às autoridades judiciárias, para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas, de acordo com a PJ.

A investigação permitiu apurar que no sábado – dia em que, segundo a família, a mulher desapareceu – os suspeitos, “pela hora do jantar, usando fármacos, colocaram-na na impossibilidade de resistir" e "agrediram-na violentamente no crânio", "colocaram-na na bagageira de uma viatura e transportaram-na para a zona de Pegões", onde "lhe pegaram fogo”.

O corpo, indica a PJ, foi localizado "completamente carbonizado”.

Fonte da Polícia Judiciária tinha adiantado à Lusa, esta manhã, que a mulher que estava desaparecida desde sábado no Montijo, no distrito de Setúbal, foi encontrada morta na quinta-feira.

Uma filha da vítima partilhou esta semana um apelo na rede social Facebook, informando que a mulher, professora no Montijo e com 59 anos, tinha sido vista pela última vez, pela família, na noite de sábado, quando “avisou que iria sair”.

[Notícia atualizada às 12h46 - Foi atualizada com informação sobre os detidos]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.