"A requisição civil, decidida na sequência do protelamento da resposta do Governo e das formas usadas por algumas estruturas dos enfermeiros, não resolve os problemas. O PCP entende que é necessário diálogo efetivo para responder aos problemas dos enfermeiros e do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e reafirma a importância da defesa e salvaguarda do direito à greve", lê-se num comunicado do PCP enviado à comunicação social.

Na nota, os comunistas reafirmam-se solidários "com a luta dos enfermeiros” em torno das reivindicações que “valorizam a sua atividade indispensável à defesa e valorização do SNS", mas manifestam "a sua preocupação com a ação em curso que, invocando o direito à greve, incide sobre as cirurgias em alguns hospitais de forma bastante prolongada e que afeta brutalmente os utentes".

O Governo decidiu hoje decretar requisição civil na greve dos enfermeiros em curso há uma semana, por incumprimento da prestação de serviços mínimos.

O anúncio foi feito pelo Governo no final da reunião do Conselho de Ministros de hoje, em conferência de imprensa.

"Os enfermeiros estão sujeitos a um enorme desgaste e, tendo sido reposta uma parte dos direitos cortados por sucessivos governos, em particular pelo Governo PSD/CDS, persistem problemas, no reconhecimento das progressões e valorização das carreiras e na falta de profissionais, a que o Governo deve dar resposta efetiva", lê-se ainda na nota do PCP.

A ministra da Saúde, Marta Temido, declarou que "face a situações de incumprimento dos serviços mínimos reportados em diversos hospitais" e "sem prejuízo do direito à greve", o Governo "não teve alternativa" e optou pela requisição civil.

"Sendo uma opção de último recurso, será agora por portaria que se definirá o respetivo âmbito", afirmou a ministra.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.