Um tubo de aço suficientemente largo para permitir a passagem dos homens “foi introduzido até 52 metros dentro do túnel e deverá perfurar [os escombros] a 57 metros (…) A operação de salvamento deverá estar concluída em breve”, declarou aos jornalistas Pushkar Singh Dhami.

Após vários contratempos, engenheiros militares e os mineiros estão a trabalhar manualmente para abrir caminho através da rocha e dos escombros, a fim de desobstruir a última secção e chegar aos homens, presos há 17 dias.

Uma equipa de três pessoas escava e insere, à vez, as últimas secções de um tubo de aço com largura suficiente para um homem passar e para permitir retirar os trabalhadores.

Estes encontram-se presos no local desde 12 de novembro, quando um deslizamento de terras provocou a derrocada de uma parte do túnel de 4,5 quilómetros que estavam a construir, a cerca de 200 metros da entrada.

As autoridades começaram a fornecer aos trabalhadores refeições quentes através de um tubo de 15,24 centímetros de diâmetro, no início da semana passada, depois de terem passado dias a sobreviver com alimentos secos enviados através de um canal mais estreito. O oxigénio chega por um canal separado.

Uttarakhand está repleto de templos hindus, e a construção de autoestradas e edifícios tem sido constante para acomodar o fluxo de peregrinos e turistas.

Este túnel faz parte da estrada Chardham, um projeto federal emblemático que liga vários locais de peregrinação hindu.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.