Erdogan, que falava durante uma visita à Tunísia numa conferência de imprensa conjunta com o homólogo tunisino, Beji Caid Essebsi, disse que Assad é “um terrorista implicado em terrorismo de Estado” e não deve fazer parte do futuro da Síria.

“Como podemos encarar um futuro com um líder sírio que matou quase um milhão dos seus cidadãos?”, questionou o líder turco, cujo país acolhe milhões de refugiados sírios.

Numa reação às afirmações de Erdogan, o Ministério dos Negócios Estrangeiros sírio acusou o presidente turco de apoiar o terrorismo e de ter “importantes responsabilidades no derramamento de sangue na Síria”.

Num comunicado, o Ministério afirma que Erdogan ofereceu “apoio sem limite” a vários “grupos terroristas”.

A Turquia apoia política e militarmente a oposição ao regime sírio, mas integra o processo de paz lançado pela Rússia, aliada de Assad.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.