“Existem 85 bilhões de metros cúbicos adicionais (…). A reserva de gás natural atingiu, portanto, 405 bilhões de metros cúbicos”, anunciou Recep Tayyip Erdogan a bordo do navio-sonda de perfuração Fatih (o conquistador, em turco) no Mar Negro.

O presidente anunciou ainda que as explorações no poço Tuna-1 foram concluídas.

Em agosto, a Turquia anunciou a descoberta do maior depósito de gás natural da sua história, então de 320 bilhões de metros cúbicos de reserva na costa do Mar Negro, que os analistas de energia consideram notável, mas não grande o suficiente para a Turquia se tornar num centro regional de energia.

Erdogan afirmou que o gás começará a chegar às casas turcas em 2023, uma vez que prevê extrair e usar gás, na esperança de, eventualmente, diminuir a sua dependência de energia importada que afeta a sua frágil economia.

A Turquia consome, por ano, entre 45 e 50 mil milhões de metros cúbicos de gás natural, quase todo ele importado, especialmente da Rússia, o que representa cerca de 11 mil milhões de euros, de acordo com a Autoridade Reguladora do Mercado Energético (EPDK).

O país aumentou a sua procura marítima em recursos hidrocarbonetos com vários navios-sonda em águas próximas ao país.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.