Um tesouro de esmeraldas, rubis e safiras enterrado durante décadas num glaciar ao largo do Mont Blanc foi finalmente partilhado entre o montanhista que o descobriu e as autoridades locais, oito anos após terem sido encontrado, conta o The Guardian.

O homem "tropeçou" nas pedras preciosas em 2013: tinham permanecido escondidas numa caixa metálica que estava a bordo de um avião indiano que se despenhou na paisagem desolada cerca de 50 anos antes. Dois aviões da Air India despenharam-se em Mont Blanc em 1950 e 1966.

"As pedras foram partilhadas esta semana" em dois lotes iguais avaliados em cerca de 150.000 euros cada, disse o presidente da câmara de Chamonix Eric Fournier.

Fournier mostrou-se "muito feliz" por os acontecimentos terem sido concluídos, em particular pelo montanhista, que elogiou pela sua "integridade" ao entregar a descoberta à polícia, como exigido por lei.

Depois de ser informado que lhe seriam dadas algumas das jóias no início deste ano, o montanhista disse ao jornal Le Parisien que não lamentava "ter sido honesto" e que usaria parte do dinheiro para renovar o seu apartamento.

As autoridades acreditam que as pedras preciosas terão provavelmente vindo do voo de 1966, que estava a caminho de Nova Iorque. O Boeing 707, voando de Bombaim, despenhou-se na face sudoeste de Mont Blanc a 24 de Janeiro. Ao longo dos anos, os alpinistas têm encontrado rotineiramente destroços, bagagem e restos humanos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.