Trata-se de Federico Klein, um homem de 42 anos que, durante a administração Trump, foi nomeado para trabalhar no Departamento de Estado.

O detido foi primeiro designado para o Gabinete de Assuntos do Hemisfério Ocidental, especificamente no departamento responsável por acompanhar o Brasil e o Cone Sul (região da América do Sul), e depois transferido para aquele que gere os pedidos de acesso à informação federal, conhecido como FOIA.

Klein, que foi detido na Virgínia, tinha trabalhado anteriormente para a campanha presidencial de 2016 de Trump como analista.

Antes de se envolver na política ao lado de Trump, Klein serviu no Corpo de Fuzileiros Navais no Iraque.

Mais de 300 pessoas foram acusadas no tribunal federal pelo ataque ao Capitólio, mas Klein é o primeiro com laços claros com a administração Trump.

A 06 de janeiro, uma multidão de apoiantes do Trump invadiu o Congresso com a intenção de parar o processo de certificação – que nessa altura estava a decorrer nas duas câmaras legislativas – do resultado das eleições que deu a vitória ao atual Presidente, Joe Biden.

Durante a invasão foram mortas cinco pessoas, quatro apoiantes de Trump e um polícia. Dois outros agentes que participaram na operação durante a agressão suicidaram-se nos dias que se seguiram.

Trump foi sujeito a um segundo processo de destituição no Congresso, na sequência da invasão ao Capitólio, acusado do crime de “incitamento à insurreição”, mas foi absolvido do ‘impeachment’, com 56 votos contra e 44 a favor.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.