“Sobre o ataque mortal ao Capitólio em Washington, acredito que é importante pedir contas a todos os responsáveis. A democracia deve sempre prevalecer sobre a violência e estou confiante de que as instituições democráticas dos Estados Unidos lidarão com este desafio”, disse Stoltenberg, numa conferência de imprensa.

O secretário-geral da NATO considerou que os acontecimentos de 06 de janeiro em Washington, quando apoiantes do Presidente cessante dos EUA, Donald Trump, invadiram o Congresso, tentando travar a certificação dos resultados eleitorais, foi “um ataque mortal ao Capitólio, coração das instituições democráticas dos Estados Unidos”.

“Isso é absolutamente inaceitável e eu disse muito claramente desde o início que era assustador e que o resultado das eleições deve ser respeitado e que temos que garantir que os nossos valores democráticos são totalmente respeitados”, acrescentou Stoltenberg.

O secretário-geral da NATO reiterou a sua confiança nas instituições democráticas dos Estados Unidos e disse estar ansioso por “uma transição pacífica”, de forma a começar a trabalhar com o próximo Presidente, Joe Biden.

“Sei que Joe Biden está fortemente empenhado na nossa cooperação transatlântica, com a NATO, e sei que ele também apoia firmemente a ideia de fortalecer a cooperação entre a América do Norte e a Europa”, concluiu Stoltenberg.

Em 06 de janeiro, enquanto o Congresso se reunia para certificar a vitória eleitoral de Biden, uma multidão violenta invadiu o Capitólio, obrigando à interrupção de trabalhos por várias horas e provocando cinco mortes.

Trump está a ser responsabilizado por ter incitado esses apoiantes a invadir o Capitólio, o que lhe valeu um processo de destituição, que foi aprovado pela Câmara de Representantes, na quarta-feira, e que dará lugar a um julgamento político no Senado.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.