A um mês das eleições europeias, Paulo de Morais lamentou o “grande desinteresse dos eleitores” face a estas, responsabilizando por isso os partidos tradicionais.

“Os partidos que estão no parlamento português não falam de questões europeias e era bom que começassem a falar, para que os cidadãos percebam que vai haver eleições europeias e que muito da sua vida tem de ver com estas”, disse na apresentação do seu programa eleitoral, num hotel do Porto.

O cabeça de lista do Nós, Cidadãos! considerou fundamental que todos os portugueses percebam que a Europa tem “muito peso” na sua vida, lembrando, por exemplo, que se existem metas para o défice orçamental, devem-se a regras europeias.

“Se hoje temos contas públicas com alguma decência isso foi imposição, de forma consensualizada, da União Europeia”, acrescentou.

Por isso, Paulo de Morais incentiva as pessoas a votar, referindo ficar “com muita pena” se a abstenção nas europeias se mantiver, à semelhança de eleições anteriores, na ordem dos 70%.

Dizendo que Portugal tem uma política “muito suja” que precisa de uma “grande limpeza”, Paulo de Morais salientou que é possível o país ter um “tipo de política mais limpa, mais transparente e menos dependente dos negócios e da corrupção através do Nós, Cidadãos!”.

O que vai dar força ao partido não são os “anúncios, cartazes e `outdoors´”, mas a força das suas ideias, disse, falando desde logo na defesa da transparência e do escrutínio rigoroso da vida pública e dos gastos do Estado.

A partir do Parlamento Europeu, o Nós, Cidadãos! vai apoiar o reforço de todas as medidas de combate à corrupção, tráfico de influências e branqueamento de capitais em Portugal e na Europa, referiu.

A defesa dos direitos humanos e do Estado de Direito, a proteção das pessoas com doença e a diminuição das assimetrias de acesso aos cuidados de saúde são outros dos focos do partido, salientou.

Paulo de Morais apontou ainda a proteção dos habitats naturais e da biodiversidade, a fiscalidade equitativa para os cidadãos europeus, o reforço dos direitos dos consumidores e o apoio à comunidade portuguesa como outras das suas linhas programáticas.

Para dar cumprimento a estes objetivos, o cabeça de lista, ex-candidato à Presidência da República, espera ter uma “representação condigna” no Parlamento Europeu.

O partido Nós, Cidadãos! vai apresentar-se às eleições para o Parlamento Europeu com o apoio do MPT, sendo o eurodeputado José Inácio Faria, eleito por este último, o número dois.

Tentaram apresentar-se a eleições coligados, mas a aliança entre os dois partidos não foi aprovada pelo Tribunal Constitucional.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.