De acordo com uma nota do gabinete do Chefe de Estado-Maior do Exército, estão a ajudar hoje no combate aos incêndios 590 militares, 116 viaturas e quatro máquinas de rasto.

De um total de 50 patrulhas no terreno, 30 colaboram em reposta a pedidos da Autoridade Nacional de Proteção Civil, 10 com o ICNF e as restantes 10 com diversos municípios.

"Estas patrulhas exercem ações de vigilância em dez áreas de patrulhamento nos distritos de Aveiro, Braga, Coimbra, Leiria, Lisboa, Porto, Setúbal, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu.

Segundo o Exército, estão ainda empenhados no combate aos incêndios 15 pelotões de rescaldo e vigilância pós-incêndio e quatro destacamentos de engenharia, nas regiões de Aldeia do Mato (Abrantes), Paredes (Vila Real), Rio Côvo (Mealhada), Canal Caveira (Grândola), Portunhos (Cantanhede) e Caldas da Felgueira (Nelas).

"Em termos de resumo, relembra-se que, em 2017 e até ao dia de hoje (12 de agosto de 2017), foram empenhados diretamente nos diferentes teatros de operações e áreas de patrulhamento 5.290 militares, 1.094 viaturas e 44 máquinas de rasto do Exército", lê-se no comunicado.

De acordo com a página na Internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil, consultada cerca das 18:15, estão esta tarde em curso 28 incêndios rurais, que mobilizam 2.045 operacionais, apoiados por 574 veículos e 24 meios aéreos.

São destacadas pela Proteção Civil como "ocorrências importantes" os incêndios que lavram nos concelhos de Montemor-o-Velho (distrito de Coimbra), Ferreira do Zêzere (Santarém), Cantanhede (Coimbra), Mealhada (Aveiro) e Abrantes (Santarém), este último já em resolução.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.