O elevado número de vítimas está a ser explicado pelas autoridades pelo facto de muitas pessoas se terem aproximado do camião-cisterna para recolher gasolina após o veículo ter capotado e começado a derramar combustível.

Um anterior balanço dava conta de 129 mortos e cerca de 140 feridos.

Citadas pela agência noticiosa norte-americana Associated Press, fontes hospitalares locais indicaram que as últimas mortes foram registadas no hospital da cidade de Multan, para onde os cerca de 50 feridos em estado crítico, muitos deles com queimaduras graves, foram transportados.

O número de vítimas mortais poderá aumentar ainda mais, uma vez que existem dezenas de feridos em estado crítico, segundo indicou Mohammad Baqar, responsável das equipas de socorro destacadas no local.

O acidente ocorreu hoje de manhã, perto da cidade de Ahmedpur, a cerca de 670 quilómetros a sul da capital paquistanesa, Islamabad.

Este incidente ocorreu numa altura em que muitos paquistaneses circulam nas estradas para se juntarem à família e celebrarem o Eid al-Fitr, a cerimónia que marca o fim do Ramadão, o mês sagrado e de jejum muçulmano.

Em 2015, pelo menos 62 pessoas, incluindo mulheres e crianças, morreram no sul do Paquistão, quando um autocarro colidiu com um camião-cisterna carregado de petróleo, desencadeando um incêndio de grande dimensão.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.