Em comunicado, o município dirigido por Paulo Cunha explica que o investimento foi aprovado na reunião do executivo camarário desta manhã para "assegurar a continuidade do trabalho que o município famalicense tem vindo a desenvolver ao longo dos últimos anos, através dos serviços da Proteção Civil, Saúde Pública e Ambiente, e em colaboração com a Associação dos Silvicultores do Vale do Ave (ASVA), de vigilância e controlo desta espécie invasora".

Segundo informa a autarquia, desde 2014 já foram sinalizados em Vila Nova de Famalicão mais de dois mil supostos ninhos de vespa velutina, tendo os serviços "procedido à destruição de cerca de 1500 após confirmação da natureza dos mesmos".

O texto explica ainda que "um abate pode custar entre 80 e 150 euros, dependendo da complexidade da intervenção", sendo que a autarquia "não cobra qualquer valor pela intervenção".

Em média, explana a autarquia, "o tempo de espera, depois do alerta, para um abate tem variado entre as 48 e as 72 horas, dependendo da complexidade, salvo os casos em que é necessário recorrer a uma logística diferente, como por exemplo recurso a uma autoescada dos bombeiros".

A vespa velutina ou vespa asiática é uma espécie de vespa não-indígena, predadora da abelha europeia, com comprimento médio de cerca de 2,5 cm.

"As características que permitem distinguir esta espécie de outras espécies de vespa habituais no nosso país são o facto de possuir as pontas das patas amarelas e o abdómen escuro, com uma fina faixa amarela e apenas 1 segmento amarelo. Esta espécie não é considerada mais perigosa para o ser humano do que a vespa europeia (vespa crabro)", lê-se.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.