O grupo afirma, no entanto, ter nas suas lojas “grandes stocks” de Plan B e Aftera, dois produtos destinados a serem tomados até três dias após a relação sexual desprotegida e que visam prevenir a fecundação.

A pílula do dia seguinte é diferente das drogas abortivas, que terminam uma gravidez.

No entanto, “para assegurar um acesso justo e disponibilização permanente nas lojas, limitamos temporariamente a três” o número de caixas que podem ser compradas numa só transação, disse um porta-voz da cadeia numa mensagem enviada à agência France-Presse.

A Wallgreens, outra grande rede de farmácias nos EUA disse que não tem, “por enquanto”, planos para impor restrições à venda de pílulas do dia seguinte.

Segundo o Wall Street Journal, a cadeia de supermercados Walmart também estará a limitar a venda de pílulas do dia seguinte a quatro ou seis caixas para pedidos com entrega até ao final do mês, mas não para os expedidos a partir do início de julho.

O Supremo Tribunal dos Estados Unidos anulou na sexta-feira a proteção do direito ao aborto em vigor no país desde 1973, permitindo que cada Estado decida se mantém ou proíbe a interrupção voluntária da gravidez.

Os juízes do Supremo, com uma maioria conservadora, decidiram anular a decisão do processo “Roe vs. Wade”, que protegia como constitucional o direito das mulheres ao aborto.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.