Segundo Hercilio Campos, com a entrada de dois meios aéreos, desde as 08:00, "será mais fácil dominar o fogo que no terreno está a ser combatido por 159 operacionais auxiliados por 58 veículos".

“Das três frentes, uma delas está extinta, as outras duas estão extintas a 80%”, sublinhou o comandante Hercilio Campos.

Referiu ainda que “uma das frentes está a ser resolvida com recurso a máquinas de rastos e a outra, dada a inclinação do terreno, estão meios terrestres com apoio de meios aéreos”.

O incêndio, que começou na madrugada de segunda-feira, chegou a ser dado como extinto, mas teve uma reativação “violenta” devido ao “vento, declive e combustível”, explicou o comandante dos bombeiros Duarte Ribeirinho.

O incêndio de Cabeceiras de Basto é o único que aparece no ‘site’ da ANPC como “ocorrência importante” - fogo de grandes dimensões, com duração superior a três horas e com mais de 15 meios de proteção e socorro envolvidos.

O ‘site’ da proteção civil apenas contempla os incidentes do continente, já que as regiões autónomas têm serviços próprios nesta área.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.