De acordo com informação disponibilizada na aplicação para telemóvel do Serviço Regional de Proteção Civil da Madeira, às 08:00 de hoje, encontravam-se a combater o fogo 33 operacionais, apoiados por 15 meios terrestres, de quatro corporações de bombeiros, da Polícia Florestal, do Comando Regional de Operações de Socorro e do Serviço Municipal de Proteção Civil da Calheta.

“Outro teatro de operações é nas Achadas da Cruz [que está situada entre a Ponta do Pargo e Porto Moniz], com 32 operacionais e 10 meios terrestres”, de uma corporação de bombeiros, Polícia Florestal e GNR.

O incêndio começou no sítio da Lombada Velha, às 05:16 de segunda-feira, e desde então alastrou a várias localidades da freguesia da Ponta do Pargo, em zonas de mato e floresta, aproximando-se, por vezes com perigo, de algumas residências, devido ao povoamento disperso que caracteriza a região.

Houve algumas zonas de pasto que arderam, mas o Governo Regional garantiu já apoio aos produtores de gado afetados. Algumas levadas e canais de abastecimento de água foram também danificados.

O Governo da Madeira já anunciou que vai "equacionar" a permanência do helicóptero de combate a fogos florestais durante todo o ano na região e não apenas nos meses de verão, como aconteceu nos últimos dois anos.

O presidente do Governo Regional deslocou-se, hoje ao final da tarde, ao local dos incêndios, numa altura em que o combate às chamas envolvia já 47 operacionais de seis corporações de bombeiros e 18 meios terrestres, segundo indicação do Serviço de Proteção Civil da Madeira.

O Diário de Notícias da Madeira divulgou esta terça-feira, no Twitter, uma imagem captada pelos satélites da NASA, que mostrava os locais com incêndios activos. "A maior mancha está no concelho da Calheta, na Ponta do Pargo, surgindo focos na Ribeira Brava e Câmara de Lobos", pode ler-se. O jornal dizia ainda que a PJ estava no terreno a investigar a origem do incêndio. Num vídeo publicado é possível perceber-se que as chamas estavam muito perto de habitações.

[Notícia atualizada às 08h57]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.