O estado de prevenção “por tempo indeterminado”, decretado após o golpe de Estado na Guiné-Conacri, pressupõe que todos os militares, de oficiais generais aos soldados, permaneçam 24 horas nos quartéis, apenas podendo sair para missões de patrulhamento ou reuniões, com ordens superiores.

Nenhum militar está autorizado a dormir na sua residência durante o período de estado prevenção.

As mesmas fontes militares indicaram ainda que as ordens são no sentido do reforço do patrulhamento às fronteiras, sobretudo com a Guiné-Conacri, e as ruas das cidades onde existam aquartelamentos do exército guineense.

A ordem de estado de prevenção também engloba a Guarda Nacional e as diferenças corporações das policias guineenses, precisaram as fontes militares.

Desde sábado de manhã que os postos de fronteira da Guiné-Bissau com a Guiné-Conacri contam com reforço de segurança por parte de soldados guineenses dos quartéis de Gabu (leste) e Buba e Quebo (sul).

A medida surge na sequência do golpe militar ocorrido no sábado na vizinha Guiné-Conacri, onde soldados capturaram o Presidente Alpha Condé, de 83 anos, dissolveram os órgãos civis eleitos, suspenderam a Constituição e ainda encerraram as fronteiras terrestre e aérea do país.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.