A equipa especial formada pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) está a investigar uma nova queixa de assédio sexual no futebol português, neste caso uma festa de cariz sexual que envolverá jogadoras do Famalicão e ainda elementos da então equipa técnica da época 2021/2022 e da estrutura do clube, conta esta quarta-feira o Público.

Esta queixa terá sido reportada no Portal da Denúncia da FPF por uma ex-jogadora do clube. “Ao ver várias das minhas colegas de profissão denunciar práticas de assédio sexual de um treinador e director desportivo, mas também a conduta negligente dos dirigentes do FC Famalicão, que foram avisados e nada fizeram, decidi contar também por esta via o meu caso e esperar que se investigue, também, esta situação”, salientou então a queixosa, numa mensagem divulgada também pelo Público, admitindo mesmo uma "alegada orgia e práticas de cariz sexual” com pelo menos oito jogadoras num apartamento do clube, onde vivia um membro da equipa técnica.

Estas denúncias começaram a surgir depois da FPF ter criado então uma equipa especial para tratar destes casos específicos, isto após a polémica do final do mês de setembro, quando o ex-treinador do Famalicão, Miguel Afonso, foi acusado de assédio sexual, após, alegadamente, ter trocado mensagens íntimas com jogadoras com idades entre os 18 e 20 anos, na pré-época de 2020/2021, quando ainda trabalhava no Rio Ave.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.