O ministro das Finanças francês, Bruno Le Maire, divulgou hoje o plano de resgate de uma indústria que emprega centenas de milhares de pessoas em França, cujos meios de subsistência foram lançados na incerteza devido às restrições de viagens provocadas pela covid-19.

O dinheiro inclui investimento direto do Estado, subsídios, empréstimos e garantias de empréstimos, incluindo sete mil milhões de euros em empréstimos e garantias que o Estado francês já tinha prometido à Air France, cujos aviões estão em quase total inatividade por causa do novo coronavírus.

O apoio exige a esta indústria investir cada vez mais rapidamente em aeronaves elétricas, hidrogénio ou outras aeronaves de menor emissão poluente.

“Tudo faremos para apoiar esta indústria francesa, que é tão crítica para a nossa soberania, os nossos empregos e a nossa economia”, afirmou Bruno Le Maire.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 404 mil mortos e infetou mais de sete milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo o balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal morreram 1.485 pessoas das 34.885 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano passou a ser o que tem mais casos confirmados, embora com menos mortes.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.