O número de casos aumentou 1.617 face ao balanço de quinta-feira, enquanto o número de mortos subiu 78 no mesmo período.

O diretor-geral da Saúde, Jérôme Salomon, anunciou hoje que o país tem agora mais de 5.000 pessoas hospitalizadas e cerca de 1.200 estão em cuidados intensivos.

O número de pessoas curadas do vírus subiu de 1.300 anunciadas na quinta-feira para 1.580.

O responsável afirmou que as autoridades esperam um pico da doença dentro de “5 a 10 dias” e que o prolongamento da quarentena, para além dos 15 dias anunciados inicialmente pelo Presidente, é “uma hipótese”, especialmente se as pessoas não respeitarem a indicação de ficar em casa.

Jérôme Salomon acrescentou ainda que a perda de paladar e olfato estão a ser relatados como sintomas ou consequências da doença por vários médicos em contacto com pacientes infetados pela covid-19.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 265 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 11.100 morreram.

Das pessoas infetadas, mais de 90.500 recuperaram da doença.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se já por 182 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, sendo Itália o país do mundo com maior número de vítimas mortais, com 4.032 mortos (mais 627 que na quinta-feira) em 47.021 casos.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.