"Era impossível entrar no salão sem passar pelo Pavilhão de Portugal, porque era o primeiro em frente à entrada. Estava sempre cheio de pessoas à volta. Ousarei dizer que passaram 55 mil pessoas", explicou o presidente da CCIFP, Carlos Vinhas Pereira, sublinhando que se trata da estimativa do número total de visitantes do evento, que começou na quinta-feira e que terminou este domingo.

Portugal foi o país convidado de honra da 18.ª edição do Salão dos Seniores em Paris que decorreu no parque de exposições da Porta de Versalhes, tendo os visitantes procurado informação sobre "a parte da saúde, fiscalidade e imobiliário" para passar a reforma em Portugal. O salão contou com duas conferências sobre "a reforma feliz em Portugal" - cada uma das quais havia "cerca de 300 pessoas" - tendo havido, também, espetáculos de fado, de humor e "stands com pastéis de nata, vinho do Porto e Moscatel".

Carlos Vinhas Pereira acrescentou que a Câmara de Comércio insistiu na expressão "reforma feliz" ao contrário da "reforma dourada" porque "as pessoas já não vão para Portugal apenas por causa da isenção fiscal, mas também por outros trunfos, como a segurança e o aumento do poder de compra". "Como Portugal era o único país de honra e como era a primeira vez que participava, as pessoas vinham informar-se até porque Portugal está na moda. O balanço foi muito positivo. Muita gente continua a ter interesse por Portugal e tivemos a visita de uma secretária de Estado francesa, o que quer dizer que a França não vê de mau olho o facto que muitos reformados franceses vão para Portugal", afirmou o dirigente da CCIFP.

De acordo com Carlos Vinhas Pereira, desde a entrada em vigor em Portugal do estatuto de residente não habitual, em janeiro de 2013, o número de franceses que foram para Portugal ultrapassou os 25.000. O estatuto do residente não habitual permite uma isenção fiscal durante dez anos a qualquer reformado (do setor privado) da União Europeia, desde que prove que reside em Portugal 183 dias por ano e que não teve residência fiscal no país nos últimos cinco anos.

Quanto à afluência de reformados portugueses ao salão, Carlos Vinhas Pereira indicou que "não tem comparação com o número de franceses".

"Muita gente ainda pensa que por ser português não tem direito de beneficiar desta lei. Estivemos a explicar que eles também têm direito como qualquer francês", continuou.

Um comunicado da Câmara de Comércio e Indústria Franco-Portuguesa indica que "Portugal é o destino favorito dos seniores em França", apontando um estudo da OpinionWay de 2015 segundo o qual "18% dos franceses com idades entre os 50 e os 70 anos" escolhem Portugal para passar a reforma, uma "tendência confirmada pelo palmarés dos ‘paraísos da reforma 2016' do 'site' retraite-etranger.fr que consagra Portugal como o melhor destino para passar a reforma no estrangeiro".

Portugal vai voltar a estar em destaque na 5.ª edição do Salão do Imobiliário e Turismo Português que vai decorrer de 20 a 22 de maio em Paris e que vai contar com "mais de 200 expositores", pretendendo permitir aos visitantes que "encontrem Portugal no meio de Paris", concluiu Carlos Vinhas Pereira.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.