Os investigadores, seguranças e funcionários administrativos da Polícia Judiciária terminam hoje sete dias de greve parcial, que, segundo as associações sindicais, “foi um sucesso”, com uma taxa de adesão a rondar os 85%.

“Foi um momento histórico na vida da instituição. Percebeu-se bem a indignação e a revolta das pessoas com a falta de investimento na PJ”, disse à Lusa Ricardo Valadas, presidente da Associação Sindical dos Investigadores criminais (ASFIC/PJ).

Questionado pela Lusa sobre as reivindicações dos funcionários da PJ, o Ministério da Justiça respondeu que está “a trabalhar na revisão da estrutura orgânica da Polícia Judiciária e do estatuto do respetivo pessoal e já deu início ao procedimento relativo concurso externo para ingresso na carreira de inspetor”.

O ministério de Francisca Van Dunem realçou também que está a avaliar, juntamente com “a área governativa responsável pelo emprego público e pelo orçamento”, o Ministério das Finanças, as questões relativas ao pagamento do subsídio de risco.

Representantes das associações sindicais e ministra da Justiça estiveram recentemente reunidos, mas, segundo Ricardo Valadas, “não houve respostas formais, nem garantias” que impedissem os trabalhadores de continuar as formas de luta.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.