Em comunicado, o conselho de administração da Fundação Nossa Senhora da Conceição confirma a existência de irregularidades, mas não refere qual o montante do dinheiro que terá sido desviado, adiantando apenas que a instituição foi lesada “numa determinada quantia”.

Segundo a mesma fonte, o caso foi detetado aquando da preparação dos documentos de prestação de contas referentes ao ano 2017.

A Instituição Particular de Solidariedade Social, que este ano completa 16 anos de existência, adianta que os factos já foram comunicados às entidades competentes.

“Face ao exposto e tratando-se de um processo interno o conselho de administração reserva-se ao silêncio, na defesa dos superiores interesses da instituição”, conclui a mesma nota.

O jornal Região de Águeda publicou hoje que o desvio de verbas ascende a mais de cem mil euros e que as suspeitas recaem numa funcionária administrativa, que trabalhava na Fundação há vários anos.

Segundo o jornal, a funcionária terá confessado o crime, no decorrer de uma reunião recente, e já terá sido afastada da instituição.

A Lusa contactou o presidente do concelho de administração da Fundação Carlos Alberto Pereira que se escusou a prestar declarações.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.