A iniciativa, que resulta de uma parceria com projeto “Quando +1 é =-1”, realiza-se este ano pela primeira vez com o apoio de centros de mergulho e faz parte de um conjunto de ações que a fundação vai promover durante uma semana, entre 19 e 27 de setembro.

Além da limpeza no fundo do mar, a Fundação Oceano Azul desafiou também as organizações portuguesas dedicadas ao combate ao lixo marinho a promoverem ações de limpeza nas praias, linha costeira e margens de cursos de água.

“Através de ações de recolha de lixo marinho levadas a cabo de norte a sul do país e nas regiões autónomas, este desafio pretende mobilizar de novo a sociedade civil e o público em geral para o problema do lixo marinho e para a necessidade de maior proteção do oceano”, refere em comunicado.

No ano passado, foram recolhidas 13 toneladas de lixo marinho nas 64 ações de limpeza costeira promovidas pela fundação para assinalar o dia, que envolveram mais de 2.300 voluntários e 100 organizações, e percorreram 80 km da costa portuguesa.

“O lixo marinho é um dos maiores problemas ambientais do planeta e o envolvimento destas organizações e dos seus voluntários são um contributo importante para o seu combate”, sublinha a Fundação Oceano Azul.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.