Em comunicado emitido hoje, a Podo afirma que “acaba de incorporar o gás natural na sua oferta de serviços em Espanha”, adiantando ter assinado para o efeito “um acordo de fornecimento a longo prazo” com a Galp, já que “o negócio do gás requer escala e um acesso competitivo à compra de matéria-prima”.

“A Galp é um dos principais operadores de gás natural na Península Ibérica. Este acordo é parte de uma aliança estratégica mais ampla no âmbito da qual a Galp entrou na Podo com 25% [do capital], o que assegura a futura colaboração entre ambas as companhias e permite à Podo continuar a explorar oportunidades de natureza comercial e em inovação de produtos e serviços”, lê-se no documento.

“Oferecer um produto combinado de eletricidade e gás é um passo natural no nosso plano de negócio que nos permitirá continuar a crescer através do acesso a uma base maior de clientes potenciais e de uma oferta mais completa, para dar mais cobertura às diferentes necessidades de lares e PME [pequenas e médias empresas]”, refere o administrador da Podo Joaquín Coronado, citado no comunicado.

Segundo se lê no comunicado, apesar da venda de 25% do capital à Galp, “a gestão da Podo mantém-se independente”, com Eugenio Galdón e Joaquín Coronado a controlarem os restantes 75% da empresa.

Este negócio representa um regresso Galp ao mercado espanhol de comercialização de eletricidade e gás natural, onde a petrolífera portuguesa já operou até vender à Endesa, em 2015, as suas atividades de comercialização de gás natural e eletricidade na região de Madrid.

De acordo com os dados avançados pela Podo, no final de 2017 havia em Espanha 29,2 milhões de pontos de fornecimento de eletricidade e 7,7 milhões de pontos de fornecimento de gás, estimando-se que cerca de cinco milhões são clientes que compram conjuntamente a luz e o gás.

Notando que é junto destes clientes “que as comercializadoras independentes têm uma menor penetração de mercado”, a Podo sustenta que “tal representa uma grande oportunidade de crescimento” para a empresa, sobretudo tendo em conta que a quota de mercado destas comercializadoras era, no final de 2017, já de 9,1% no mercado livre de eletricidade, mas de apenas 1,3% no mercado liberalizado de gás.

A Podo foi fundada por Eugenio Galdón e Joaquín Coronado, apresentando uma proposta de valor “assente na poupança, simplicidade dos seus produtos, serviço de qualidade e gestão 100% ‘online’”.

Contactada pela Lusa, a Galp confirmou a parceria com a espanhola Podo e remeteu detalhes sobre a operação para mais tarde.

[Notícia atualizada às 12h09]

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.