A Sonorgás, do grupo Dourogás, venceu as concessões para 18 concelhos e está a investir 58 milhões de euros na construção de Unidades Autónomas de Gás e respetivas redes, com a previsão da conclusão de todas as infraestruturas “até ao final de 2019″.

O grupo já é responsável pelas redes em sete concelhos e com os novos investimentos em toda a região transmontana, apenas os concelhos de Mesão Frio, em Vila Real, e Miranda do Douro, em Bragança, ainda não serão abrangidos pelo gás natural canalizado, segundo o diretor executivo, Nuno Moreira.

As obras para a construção das infraestruturas já arrancaram em seis dos 18 municípios previstos, e já hoje começaram a ser feitas as primeiras ligações nos concelhos de Alijó (Vila Real) e Vila Flor (Bragança), incluídos neste conjunto.

O diretor executivo da Dourogás falava na cerimónia de inauguração da chegada do gás natural a Vila Flor e explicou que as novas redes serão instaladas apenas nas sedes de concelho e o propósito deste investimento é levar o gás natural às vilas e cidades mais pequenas.

Nuno Moreira disse ainda que relativamente a Mesão Frio e Miranda do Douro, os dois concelhos estão “à espera do trâmite dos processos, que esperam sejam resolvidos rapidamente”.

Dos 58 milhões de euros que a empresa está a investir nas novas redes de 18 concelhos, 29 milhões são financiados pelo BEI, o Banco Europeu de Investimento, por um prazo de 20 anos.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.