Segundo o tenente-coronel Cura Marques, oficial de Relações Públicas do Comando Territorial da GNR da Guarda, o desaparecimento foi comunicado inicialmente à PSP, por uma irmã do homem.

Após o alerta, a PSP iniciou buscas e fez o rastreio ao sinal do telemóvel do desaparecido, que foi localizado nos arredores da cidade, na zona de Alfarazes, mas as investigações, realizadas com homens e com recurso a drones, não deram resultado.

O caso passou depois para a GNR, que iniciou as buscas na terça-feira e empenhou, na quarta-feira, “cerca de 20 homens”, segundo Cura Marques.

“Andamos à procura do carro, porque o senhor tem mobilidade reduzida e não levou a cadeira de rodas nem o andarilho”, referiu à agência Lusa.

O tenente-coronel indicou que a GNR já procurou o carro do desaparecido nos arredores da cidade, como na zona da barragem do Caldeirão, um local que costumava frequentar, mas sem sucesso, estando agora a dar atenção ao itinerário entre as cidades da Guarda e do Sabugal.

“O que vamos fazer é alargar a área das buscas, com [a circulação de] patrulhas nas zonas mais afastadas” da Guarda, na tentativa de localizar o veículo do desaparecido, acrescentou.

A GNR da Guarda também já solicitou ao Comando Territorial de Castelo Branco que os militares deem alguma atenção aos concelhos de Belmonte, Penamacor e Idanha-a-Nova, pela proximidade ao território do município do Sabugal.

O desaparecimento do homem está a ser divulgado por familiares e amigos nas redes sociais.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.