"A decisão teve de ser tomada já, porque [a organização do Carnaval] impõe investimento por parte dos grupos, aquisição de roupas, aquisição de outros apetrechos", refere o Secretário Regional do Turismo e Cultura, numa nota áudio enviada à agência Lusa.

Eduardo Jesus sublinha que a preparação do Carnaval não permite cumprir as orientações de segurança que estão em vigor.

"Estamos certos de que, com o aparecimento já de duas vacinas, este início de 2021 será o período privilegiado da vacinação, o que nos permite olhar para a frente com esperança e acreditar que será possível cumprir o resto do [calendário de festas] que temos já imaginado", declarou.

O Carnaval é um dos maiores cartazes turísticos da Região Autónoma da Madeira e é marcado por dois grandes momentos: o desfile de trupes e o cortejo trapalhão.

De acordo com os dados mais recentes, o arquipélago da Madeira contabiliza 610 infeções ativas, num total de 1.687 casos confirmados desde 16 de março, e 14 óbitos associados à doença.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.