Segundo noticia o Jornal de Notícias, as famílias gastam mais de 10% do rendimento mensal na fatura energética e, ainda assim, cerca um quarto da população não consegue aquecer as casas e 24,4% vivem em casas com infiltrações de água ou humidade

Com o objetivo de combater a pobreza energética, que o Governo vai avançar com uma estratégia nacional que entra hoje em consulta pública e que prevê metas de redução gradual destas dificuldades até 2050. Neste sentido, o Ministério do Ambiente vai atribuir, ainda este ano, 56 milhões de euros da "bazuca" às famílias para tornarem as suas habitações mais eficientes. Deste valor, 26 milhões destinam-se a agregados mais pobres e cada um receberá, em média, um vale de 1300 euros, informa o Jornal de Notícias.

Estes “vouchers eficiência”, que preveem uma dotação total de 130 milhões no Plano de Recuperação e Resiliência, deverão ajudar 100 mil famílias com carências económicas e concurso para obter estes vales deverá ser lançado pelo Ministério do Ambiente durante o verão.

Os vales vão cobrir 100% das despesas e visam a aquisição de fogões elétricos, aquecedores, equipamentos para arrefecer a casa ou instalação de painéis solares, mas também podem ser utilizados para o pagamento de obras que melhorem a eficiência energética das habitações – troca de portas, janelas ou revistemento de paredes e coberturas.

O secretário Adjunto e da Energia, João Galamba, declarou ao JN que está a ser desenhado um sistema de voucher assente numa “rede de fornecedores locais”, que permitirá também “dinamizar a economia local”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.