Segundo o jornal, foram várias as comunidades autónomas que, na sexta-feira, fizeram pressão sobre o Executivo de Pedro Sánchez para a aprovação da referida medida, devido ao aumento do número de casos de contágio pelo vírus em todo o país.

Se aprovado, será o terceiro estado de emergência decretado pelo governo de Sánchez para lidar com a pandemia, depois do declarado em março (estendido seis vezes, até junho) e do declarado na cidade de Madrid e outros municípios da Comunidade.

O estado de alarme foi decretado pela primeira vez em Espanha a 10 de dezembro de 2010, quando uma greve de controladores aéreos obrigou ao cancelamento do tráfego aéreo no país.

Esta sexta-feira, o presidente do Governo espanhol admitiu que o número real de infetados com o novo coronavírus em Espanha é de três milhões de pessoas, embora o registo oficial o coloque em um milhão.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.