Em comunicado, a secretaria de Estado para a Cidadania e a Igualdade, dá conta de que está aberto o concurso para apoio financeiro a projetos que tenham como objetivo contribuir para “alertar as comunidades quanto às consequências médicas e legais da mutilação genital feminina”.

Estes projetos terão também como propósito “capacitar profissionais de setores estratégicos, aliar esforços com autarquias, acompanhar famílias”, além de capacitar homens e mulheres para que se possam tornar agentes ativos na prevenção da prática da mutilação genital feminina.

A linha de financiamento é de 50 mil euros e o concurso decorre até ao dia 16 de novembro, sendo que “representa uma reestruturação do prémio Contra a MGF – Mudar agora o Futuro”, atribuído bianualmente desde 2012.

O combate à mutilação genital feminina, mas também os casamentos infantis, precoces e forçados, fazem parte do Plano de Ação para a Prevenção e o Combate à Violência contra as Mulheres e à Violência Doméstica 2018-2021, integrado na Estratégia Nacional para a Igualdade e a Não-Discriminação 2018-2030.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.