“Pagámos ao setor agrícola e florestal 1.600 milhões de euros, um acréscimo de 160 milhões de euros relativamente a 2019”, indicou a ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, em audição parlamentar sobre Agricultura e Mar.

Entre as operações efetuadas, a governante destacou o adiantamento de 487 milhões de euros no âmbito do Pedido Único e uma medida excecional, criada em dezembro, para apoiar os setores mais afetados com a pandemia de covid-19, no valor de 12,2 milhões de euros.

O Pedido Único é uma solicitação de "pagamento direto das ajudas que integram os regimes sujeitos ao Sistema Integrado de Gestão e de Controlo", segundo a informação disponibilizada no site do Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas (IFAP).

Os pagamentos diretos aos agricultores foram reforçados em 85 milhões de euros com a transferência entre pilares do Programa de Desenvolvimento Rural (PDR) 2020.  No ano passado, destaca-se o setor do vinho, apoiado com 11 milhões de euros.

“Os nossos agricultores trabalharam diante as dificuldades. Criaram condições para se adaptarem e irem ao encontro desta nova realidade [covid-19]. O papel do ministério foi de acompanhar e monitorizar o que é o desafio que se foi colocando à agricultura portuguesa”, afirmou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.