“O Governo português condena veementemente o ataque do dia 06 de novembro contra uma coluna de veículos civis e militares no leste do Burkina-Faso, que resultou na perda de 37 vidas e mais 60 feridos”, lê-se num comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

O texto acrescenta que Portugal “acompanha com preocupação a deterioração da situação de segurança no Burkina-Faso e na região do Sahel nos últimos anos” e reitera “o seu empenho, designadamente no quadro multilateral, no combate ao terrorismo e ao extremismo”.

O ataque de quarta-feira, que visou uma coluna de cinco autocarros que transportava trabalhadores da empresa mineira canadiana Semafo, é considerado o mais grave desde que extremistas islâmicos se tornaram ativos no país.

O ataque, em que além das 37 vítimas mortais houve 60 feridos, não foi reivindicado até ao momento, mas testemunhas afirmaram ter sido cometido por ‘jihadistas’ fortemente armados.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.