Miguel Albuquerque destacou as parceiras estabelecidas com a empresa Porto Santo Line, responsável pelas ligações marítimas entre a Madeira e o Porto Santo, que está a efetuar o transporte de passageiros cujos voos divergiram nos últimos dias para aquela ilha.

Desde domingo que dezenas de voos foram cancelados ou divergiram para os outros locais devido ao vento forte que se faz sentir no Aeroporto Internacional da Madeira Cristiano Ronaldo, em Santa Cruz, zona leste da ilha, situação que já afetou mais de cinco mil passageiros.

"Temos feito um trabalho, em articulação com a ANA, no sentido de minorar os impactos e melhorar o conforto dos passageiros", afirmou Miguel Albuquerque, destacando, por outro lado, como "muito positiva" a proposta para a criação de uma "bolsa de quartos" nos hotéis, apresentada pela Associação Comercial e Industrial do Funchal.

O presidente do Governo da Madeira considerou ainda que a ocorrência cada vez mais regular de ventos fortes na zona do aeroporto deriva das alterações climáticas, mas também diz que se tornou mais notória devido ao "aumento exponencial" do número de voos.

"Neste momento, estamos com mais de 395 voos por semana no Aeroporto da Madeira e isso faz com que os impactos sejam maiores", afirmou, vincando que "contra o tempo não há governo nenhum que possa desenvolver ações".

A costa sul da ilha da Madeira está sob 'aviso amarelo' até ao final do dia de terça-feira devido ao vento forte com rajadas da ordem dos 80 quilómetros por hora no extremo leste, de acordo com o Instituto Português do Mar e Atmosfera.

O 'aviso amarelo', o terceiro mais grave, significa situação de risco para determinadas atividades dependentes das condições meteorológicas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.