“Perante o surgimento da nova variante, a Ómicron, e com o acompanhamento que temos vindo a fazer com o apoio dos nossos parceiros, particularmente da Organização Mundial da Saúde, decidimos que havia necessidade de reunir com caráter de urgência o comité de coordenação de luta contra a pandemia da covid-19”, explicou o Ministro da Saúde, Edgar Neves que presidiu à reunião.

Segundo Edgar Neves a reunião tinha o objetivo de “analisar de forma serena e profunda, em base de evidências científicas [sobre a variante Ómicron] para que saiam orientações concretas para que o Governo se possa posicionar”.

A representante da Organização Mundial da Saúde (OMS) em São Tomé e Príncipe, Annie Ancia, que participou no encontro do comité de coordenação contra a covid-19, referiu que neste momento está no país uma especialista internacional uma especialista “internacional trabalhando no laboratório nacional sobre este assunto”.

“Durante este momento estamos a ver se já é possível iniciar a identificação e sequenciação genómica e aumentar a capacidade de sequenciação de genómica no país”, explicou a representante da OMS em São Tomé e Príncipe.

Por outro lado, o ministro da Saúde reforçou o apelo para o cumprimento das medidas de prevenção contra a covid-19 e exortou a população para aderir à vacinação.

”Temos vacinas, temos vacinadores, temos gente disponível, portanto, nós temos que rapidamente vacinar — isto não é pedir as pessoas – temos que vacinar!”, exortou o ministro da Saúde acrescentando que o Governo pretende ver vacinada “o maior número de pessoas até final do ano”, possibilitando alterar a estratégia de vacinação “quer em termos de faixa etária ou a administração da dose de reforço”.

Num comunicado à imprensa a Polícia Nacional alertou a população que “usará os meios legais ao seu dispor para o cumprimento das medidas em vigor” nomeadamente “uso obrigatório e coreto de máscaras nos espaços públicos e nos veículos ocupados por mais de uma pessoa, com exceção de menores de 10 anos de idade”.

“Os praticantes de atividades recreativas e de lazer, particularmente noturnas, atividades físicas, discotecas e terraços serão submetidos ao escrutínio policial e fazer fé de terem tomado as duas doses de vacina contra a covid-19”, avançou a porta-voz da Polícia Nacional, Daniela Cunha.

Há uma semana que São Tomé e Príncipe não tem casos positivos de covid-19 oficialmente ativos e a quase três semanas que não regista novas infeções.

De acordo com o boletim divulgado pelo Ministério da Saúde de São Tomé e Príncipe, o país não registou qualquer morte nas últimas 24 horas.

Com os dados mais recentes, o arquipélago conta com 3.731 casos de infeção pelo novo coronavírus desde o início da pandemia, entre os quais 56 óbitos e 3.675 recuperações da doença.

O boletim divulgado pelo Ministério da Saúde refere que 83.625 pessoas já receberam a primeira dose da vacina, enquanto 39.495 já receberam as duas doses.

Termina no dia 30 de novembro o período de 30 dias do Estado de Alerta decretado pelo Governo no início do mês.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.