O presidente da ASPP, Paulo Rodrigues, avançou à agência Lusa que as promoções são referentes a 2017 e vão abranger as categorias de agentes, chefes e oficiais, sendo a maior fatia para o posto de agente principal, 1.500.

O descongelamento das carreiras foi outro dos pontos da reunião entre os dirigentes do maior sindicato da PSP e o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.

Paulo Rodrigues afirmou que 3.767 polícias vão ter as carreiras descongeladas “entre março e abril” e vão receber os retroativos desde janeiro.

Segundo o presidente da ASPP, estes polícias são aqueles que reúnem condições para progredir na posição remuneratória, sendo sobretudo os agentes e subcomissários.

Em relação ao efetivo da Polícia de Segurança Pública que pode progredir na carreira depois da contagem do tempo em que estiveram congeladas, entre 2011 e 2017, o ministro vai enviar para os sindicatos o número de polícias que estão nestas condições e os critérios a aplicar, adiantou Paulo Rodrigues, sublinhando que depois a ASPP vai voltar a reunir com Eduardo Cabrita para a negociação.

“O ministro mostrou disponibilidade para cumprir com o que está previsto no Orçamento do Estado de 2018″, disse, recordando que a ASPP quer que seja contado o tempo em que as carreiras estiveram congeladas para todos os polícias, existindo algumas exceções para aqueles que foram promovidos mais do que uma vez em cinco anos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.