Numa carta enviada ao presidente da câmara de Mitilene, Stratís Kytelis, o ministro informou que os pedidos de asilo de todos os moradores do campo foram examinados e a comunicação dos resultados está a ser feita.

Segundo o ministro, nas próximas semanas, quando estiver prevista a transferência de 1.104 refugiados para a Alemanha, o campo de Lesbos será encerrado e o terreno será devolvido à câmara municipal de Mitilene.

Mitarakis acrescentou que, o mais tardar em novembro, todos os apartamentos e hotéis que alojam refugiados ao abrigo de programas governamentais serão evacuados e os seus residentes serão transferidos para um novo campo fechado, que ainda não construído.

O ministro disse que nos últimos seis meses mais de 8.500 refugiados – dos quais 3.900 deixaram Lesbos – foram transferidos das ilhas do Egeu para a Grécia continental.

Além disso, o Ministério garante que a população refugiada de Lesbos foi reduzida em 58%, em janeiro, em comparação com o mesmo mês de 2020, quando havia 20.868 requerentes de asilo.

No ano passado, as chegadas de migrantes e refugiados por mar às ilhas gregas diminuíram significativamente.

Dezenas de organizações humanitárias têm denunciado repetidamente que a Guarda Costeira grega tem obrigado ao regresso de refugiados à Turquia, mas o Governo de Atenas descreve essas notícias como falsas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.