António Guterres, que parte hoje para Buenos Aires, na Argentina, para participar na cimeira, que decorre na sexta-feira e no sábado, alertou que o mundo enfrenta uma “crise de confiança”.

“Os abandonados pela globalização estão a perder a confiança nos governos e nas instituições. A desigualdade é generalizada e crescente, as disputas comerciais estão a aumentar e a corrente de tensões geopolíticas estão a colocar mais pressão na economia global”, disse.

De acordo com secretário-geral das Nações Unidas, os países devem trabalhar juntos para responder a estes problemas e promover uma "globalização justa", utilizando os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável acordados em 2015 como base.

Ao mesmo tempo, Guterres enfatizou a necessidade de se atuar para evitar um grande desastre climático.

"Alguns dizem que não se pode lutar contra as alterações climáticas e ter uma boa economia, eu discordo, na verdade, é o oposto", declarou.

Guterres sublinhou que os custos de não agir em face do aquecimento global serão muito maiores do que os investimentos necessários para reduzir as emissões de gases com efeito estufa e promover um crescimento mais ecológico.

Questionado sobre a posição do Presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, que retirou o seu país do Acordo de Paris e reiterou que não acredita nas alterações climáticas, o secretário-geral das Nações Unidas disse ser necessário "olhar para além das ações dos governos".

"Nós vemos uma reação muito importante da sociedade civil, das empresas, das cidades, e eu acho que é perfeitamente possível que os Estados Unidos cumpram os compromissos do Acordo de Paris", salientou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.