Hillary Clinton, candidata democrata às eleições norte-americanas, anunciou esta terça-feira, em comunicado, a formação de uma equipa encarregue de preparar a transição de poder com o presidente em final de mandato, Barack Obama, caso vença a corrida à Casa Branca.

A formação de uma equipa de transição é um ato tradicional no processo eleitoral norte-americano, e tem como objetivo fazer as alterações necessárias nas semanas anteriores à tomada de posse do novo (ou nova) presidente, no mês de janeiro a seguir à eleição.

"Quando Hillary Clinton entrar para a história como a primeira mulher presidente do país, nós queremos ter uma organização pronta para que ela possa estar operacional desde o primeiro dia", disse Ken Salazar, ex-secretário do Interior de Barack Obama, nomeado presidente desta equipa.

Entre os principais responsáveis surgem nomes como Tom Donilon, ex-assessor de segurança nacional de Obama, e Neera Tanden, próxima de Hillary Clinton e que se encontra à frente do centro de análises Center for American Progress.

O candidato republicano, Donald Trump, nomeou em maio passado o governador de Nova Jersey, Chris Christie, como presidente da sua equipa de transição.

A onze semanas do dia da eleição, a corrida não podia estar mais quente. Na última sondagem, lançada hoje, pela NBC, Hillary Clinton surge à frente com 43% das intenções de voto, logo seguida por Donald Trump que, seis pontos percentuais abaixo, aparece com 37%.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.