Após mais de duas décadas de tentativas frustradas, os chefes de Estado e de Governo da União Europeia e os seus homólogos da Liga Árabe vão encontrar-se para uma primeira cimeira histórica, que será copresidida pelo presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, e pelo presidente do Egito, Abdel Fattah al-Sisi.

Da vasta agenda da reunião constam temas tão díspares como o aprofundamento da cooperação económica e comercial em setores como a energia, a ciência, a investigação, o turismo, a pesca e a agricultura, o combate às alterações climáticas, o multilateralismo, os desafios regionais causados pela instabilidade na Síria, Líbia e Iémen, e pelo processo de paz no Médio Oriente, a luta contra o terrorismo, e, sobretudo, as migrações.

A UE olha para a Liga Árabe como um parceiro inevitável na solução para a crise migratória, nomeadamente no combate à imigração ilegal, mas é precisamente este tema que está a ‘bloquear’ a publicação de uma declaração conjunta no final dos trabalhos.

As cisões internas a nível europeu na abordagem ao tema das migrações, e especialmente a posição radical da Hungria, estão a impedir a redação de um comunicado conjunto, que plasme em palavras as conclusões da primeira cimeira UE-Liga Árabe.

As ausências de peso do lado europeu, nomeadamente do presidente francês, Emmanuel Macron, e do presidente do Governo espanhol, Pedro Sánchez, são mais um sintoma do que uma consequência do esmorecimento das expectativas relativamente àquela que chegou a ser apresentada como uma cimeira crucial para os destinos dos dois blocos.

Compromisso será, pois, o mote para o encontro entre os representantes de 49 delegações nacionais, que vai proporcionar também discussões bilaterais sobre a saída do Reino Unido da UE.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, irá ser recebida por Donald Tusk, numa nova tentativa de desbloquear o ‘impasse’ do Brexit’, e encontrar-se-á também hoje com a chanceler alemã, Angela Merkel, e com o primeiro-ministro da Irlanda, Leo Varadkar.

A cimeira UE-Liga Árabe tem início hoje, às 17:00 horas locais (15:00 em Lisboa), com a sessão plenária “Reforço da parceria euro-árabe e análise comum dos desafios globais”.

A segunda parte daquela sessão, na qual o primeiro-ministro português irá discursar, acontecerá na segunda-feira, a partir das 12:00, com a sessão de encerramento a acontecer duas horas depois.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.