“A intenção foi boa, a forma de agir é que não”, comentou à agência Lusa uma fonte do Comando Distrital da PSP, frisando que, em circunstâncias como estas, os explosivos nunca devem ser manuseados, optando-se por contactar a polícia, que enviará especialistas ao local.

“Para evitar acidentes e a criação de situações de perigo”, a PSP aconselha todas as pessoas que se deparem com produtos explosivos a não os manusearem e contactarem de imediato as forças policiais, que enviarão ao local especialistas do seu Centro de Inativação de Explosivos, secunda um comunicado policial entretanto emitido.

O alerta surgiu após um homem de 60 anos ter levado às instalações da PSP de Viana do Castelo, na terça-feira, os 126 detonadores pirotécnicos, bem como 12 detonadores elétricos, 30 metros de cordão detonante e 20 metros de mecha.

O material pirotécnico em causa teria pertencido a um familiar, entretanto falecido, cuja empresa usava explosivos em pedreiras ou em trabalhos de construção civil.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.