A Direção-Geral de Saúde (DGS) confirmou hoje estar a avaliar o segundo caso suspeito de infeção por Coronavírus em Portugal, estando o mesmo a caminho do hospital de São João, no Porto.

“Este doente regressou da China no dia 22 de janeiro onde teve contacto com um cidadão com provável infeção pelo 2019-nCoV [Coronavírus] e está a ser encaminhado para o Centro Hospitalar Universitário de S. João no Porto, hospital de referência para estas situações”, adiantou, em comunicado.

Um homem está a caminho do Centro Hospitalar Universitário de São João, no Porto, com suspeitas de poder estar infetado com o coronavírus, confirmou à Lusa fonte do Serviço Nacional de Saúde (SNS). A fonte não adiantou, porém, a nacionalidade do homem.

No entanto, estação pública de televisão, a RTP, avança que se trata de um empresário de Felgueiras, com mais de 45 anos e que fez uma viagem de negócios à China. O homem terá estado numa cidade próxima de Wuhan onde há registo de casos.

De acordo com o canal de informação, este apresenta um quadro de infeção respiratória e está dentro da janela dos catorze dias de incubação. Vai, agora, ficar em isolamento num quarto de pressão negativa.

Este é o segundo caso suspeito em Portugal. O primeiro, encaminhado para o Curry Cabral, em Lisboa, no passado sábado, revelou-se negativo.

O Jornal de Notícias está avançar que há também um caso suspeito em Cascais. Escreve o jornal que se trata de um cidadão chinês que chegou de Wuhan, que tinha queixas respiratórias e dirigiu-se às urgências do hospital de Cascais. Foi colocado em isolamento e está estável. Se piorar será encaminhado para o Curry Cabral. No entanto, a Direção-geral de Saúde não confirmou este caso suspeito.

Em Portugal foram ativados os protocolos estabelecidos para situações do género, reforçando no Serviço Nacional de Saúde a linha Saúde 24, através do número 800242424, e a linha de apoio médico, para triagem e evitar que em caso de eventual contágio as pessoas não encham os centros de saúde e as urgências dos hospitais.

O novo vírus que causa pneumonias virais foi detetado na China no final de 2019 e já infetou quase dez mil pessoas e provocou a morte a mais de 200.

Trata-se de um novo tipo de coronavírus, que é transmitido entre animais e que passou para os seres humanos, havendo já registos de transmissão pessoa a pessoa, mas ainda em circunstâncias não totalmente fundamentadas.

Os primeiros casos do vírus “2019 – nCoV” apareceram em meados de dezembro na cidade chinesa de Whuan, quando começaram a chegar aos hospitais pessoas com uma pneumonia viral. Percebeu-se que todas as pessoas trabalhavam ou visitavam com frequência o mercado de marisco e carnes de Huanan, nessa mesma cidade. Ainda se desconhece a origem exata da infeção, mas terão sido animais infetados, que são comercializados vivos, a transmiti-la aos seres humanos.

Os sintomas destes coronavírus são mais intensos do que uma gripe e incluem febre, dor, mal-estar geral e dificuldades respiratórias, incluindo falta de ar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.