No entanto, face às dificuldades impostas pelo ataque informático, o HGO apela aos utentes para que se desloquem ao hospital apenas se estritamente necessário, de forma a não sobrecarregar o Serviço de Urgência.

Em comunicado, o HGO, no distrito de Setúbal, adianta ainda que, até à normalidade ser restabelecida, vão manter-se as primeiras consultas, sendo as consultas subsequentes reagendadas "tão brevemente quanto possível".

A unidade hospitalar refere também que todos os serviços ativaram os seus planos de contingência, estando assegurados os registos clínicos em suporte de papel.

Quanto aos doentes que se encontrem a utilizar medicação de cedência exclusivamente hospitalar, o HGO refere que deverão dirigir-se como habitualmente aos Serviços Farmacêuticos, fazendo-se acompanhar dos respetivos receituários em papel/caixas de medicamentos.

O Hospital Garcia de Orta refere igualmente que está em contacto permanente com o Centro Nacional de CiberSegurança (CNCS) e com a Polícia Judiciária, estando a ser realizados todos os esforços no sentido de repor os servidores afetados com a maior brevidade possível.

"Lamentamos o transtorno causado a todos os nossos utentes e apelamos à compreensão para a situação vivida", adianta a unidade hospitalar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.