“Existem provas credíveis que mostram que a polícia turca e as milícias cometeram sérios abusos em pelo menos 14 pessoas tendo-se registado seis incidentes em Diyarbakir (sudeste) e em Istambul nos últimos dois meses”, refere Human Rights Watch (HRW) em comunicado.

De acordo com a organização não-governamental com sede em Washington os casos são “acompanhados de uma vaga de detenções violentas, agressões e outros tipos de abusos”.

A HRW apela às autoridades turcas no sentido de serem tomadas medidas sobre o assunto.

Em junho o Parlamento turco adotou um projeto-lei controverso que reforça consideravelmente os poderes relacionados com o poder das milícias.

Estes grupos (bekçi em turco) patrulham as ruas durante a noite, têm os mesmos poderes de um corpo policial e usam armas de fogo.

Nos casos referidos pela HRW, os polícias e os membros das milícias entram em residências e atacam pessoas com armas e cães havendo relatos de situações muito graves.

Tom Porteous, vice-diretor da HRW diz que se trata de uma “situação inaceitável”.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.