Numa nota enviada à Lusa, o partido liderado por João Cotrim Figueiredo refere que "esta decisão de demissão da diretora do SEF, tomada por pressão pública e não por imperativo ético e político, peca por tardia" e questiona se "é uma verdadeira sanção ou se já foi preparada uma transição para outro lugar que seja quase um prémio".

O Ministério da Administração Interna revelou hoje que a diretora do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), Cristina Gatões Batista, demitiu-se das suas funções.

Na reação a esta demissão, a Iniciativa Liberal insta também o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, a assumir responsabilidades, reiterando que "é notório não ter condições para permanecer em funções".

"Esta situação é exemplo de uma das marcas mais nefastas da governação socialista, a degradação do conceito de responsabilidade política", acrescenta a nota.

Cristina Gatões assumiu a liderança do SEF a 16 de janeiro de 2019, em substituição de Carlos Moreira, que saiu por motivos pessoais.

No mandato de Cristina Gatões, vários inspetores do SEF foram acusados de envolvimento na morte de um cidadão ucraniano em instalações do SEF no aeroporto de Lisboa, a quem agrediram violentamente.

Licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, Cristina Gatões é inspetora coordenadora superior da Carreira de Investigação e Fiscalização do SEF.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.